Uso impessoal dos verbos HAVER, FAZER e TER – ou seja, quando são usados sempre na terceira pessoa do singular

pedalando-Rio de Janeiro-pão-de-açúcar-aterro-do-flamengo

—–

  • “Fazem dois anos que ela mora no Rio” ou “Faz dois anos que ela mora no Rio”?
  • “Não houveram feridos” ou “Não houve feridos”?
  • “Devem haver dez pessoas” ou “Deve haver dez pessoas”?

Uso IMPESSOAL do verbo HAVER

Emprega-se o verbo HAVER como impessoal (isto é, sempre na 3ª pessoa do singular) quando tem o sentido de “existir”. Este é um dos casos de “oração sem sujeito”.

  • Não houve feridos
  • Não há / haverá / haveria soluções a curto prazo.
  • Se houvesse mais justiça, haveria menos descontentes.
  • Vamos apurar todas as irregularidades que houver.

As mesmas frases, se construídas com o verbo EXISTIR, teriam o verbo flexionado:

  • Não existiram feridos.
  • Não existem/existirão/existiriam soluções a curto prazo.
  • Se existisse mais justiça, existiriam menos descontentes.
  • Vamos apurar todas as irregularidades que existirem.

 

Quando o verbo HAVER no sentido de existir faz parte de uma locução verbal, ele transfere sua impessoalidade ao verbo auxiliar, que permanece no singular:

  • Deve haver outras técnicas para melhorar o cultivo.
  • Está havendo coisas de arrepiar os cabelos.
  • Não sei se chegou a haver sessões no Senado naquele período.

———-

Uso impessoal do verbo FAZER

O verbo FAZER se mantém na 3ª pessoa do singular quando indica tempo transcorrido ou fenômeno meteorológico. Estando o verbo FAZER como impessoal, o verbo auxiliar que porventura o acompanhar deve também assumir a forma impessoal:

  • Faz dois anos que ela mora no Rio de Janeiro..
  • Vai fazer cinco anos que eles estão casados.
  • Quando saí da cidade, fazia 40 graus à sombra.
  • Em julho, fez uns dias de verão.

———-

Uso impessoal do verbo TER

Quando o verbo TER é utilizado como HAVER, fica impessoal, sem sujeito. Portanto, sem o acento circunflexo no presente do indicativo.

  • Tem pessoas assim em todo lugar.
  • Na festa tinha mais mulheres que homens.
  • Tinha alguns meninos no ponto de ônibus.
  • Tem ocasiões em que todos nos sentimos desanimados.

Os exemplos acima são de natureza coloquial.  Em linguagem mais formal, exigida nos meios acadêmicos ou oficiais, devemos usar o verbo HAVER:

  • Havia alguns meninos no ponto de ônibus.
  • Há ocasiões em que todos nos sentimos desanimados.

————–

Agora preciso da sua ajuda!

Por favor, deixe um comentário dizendo se esta postagem foi útil para você.  Você pode deixar também suas dúvidas de português, sugestões, críticas. Somente dessa forma posso aprimorar o conteúdo deste blog.

Aproveito para convidá-lo a “seguir” Português sem Mistério. Com isso, você será avisado por e-mail toda vez que eu publicar um texto novo.

Forte abraço!

Betty Vibranovski

——

BANNER_Revisão de Textos_v2

13 comentários sobre “Uso impessoal dos verbos HAVER, FAZER e TER – ou seja, quando são usados sempre na terceira pessoa do singular

  1. A iniciativa da Profa. Betty é um grande ato de cidadania. A língua pátria é rica. Somos carentes de orientação para a comunicação de qualidade. Muito obrigado. Parabéns pelo esforço.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s