Bom dia ou Bom-dia? Boa tarde ou boa-tarde? Boa noite ou boa-noite?

 

1) Quando a expressão for um substantivo designando a saudação, escreve-se com hífen.

  • Gostaria de dar-lhes um bom-dia antes de me retirar.
  • Ele deu bom-dia a todos ao chegar.
  • Deu-nos um boa-noite com muito carinho.
  • Abraçou-me com um grande sorriso de boa-tarde.
  • Estou esperando até agora o seu bom-dia, o seu boa-tarde e o seu boa-noite.

Observe: “um boa-tarde” e “um boa-noite”. O artigo, neste caso, não concorda com a palavra da frente (“boa”), mas sim com toda a estrutura composta (boa-tarde, boa-noite).

“Bom-dia” é um substantivo composto. Plural: bons-dias.

.

2) Quando for o próprio ato de se cumprimentar, não se usa hífen:

  • Bom dia, Alexandre.
  • Boa tarde, queridos amigos.
  • Boa noite, doutor!

3) Quando o “boa” ou “bom” for um adjetivo ao lado de um substantivo, não se usa hífen.

  • Finalmente tive uma boa noite de sono.
  • Hoje é um bom dia para ir à praia.

 

Fontes:

  • Dicionário Aulete
  • VOLP – Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa
  • Site Português na Rede

Crédito da imagem: Site emotioncard.

Curta a página Português sem Mistério no Facebook.

Revisão de Textos - Betty Vibranovski

Anúncios

4 comentários sobre “Bom dia ou Bom-dia? Boa tarde ou boa-tarde? Boa noite ou boa-noite?

  1. Eu já tinha consultado o VOLP e o Houaiss e a resposta que encontrei neste último é que bom-dia deve ter hífen quando se trata de cumprimento dirigido a alguém. Diante de sua informação, voltei a consultar o mesmo dicionário: bom-dia com hífen quando se tratar de cumprimento. O VOLP não trabalha com significado; então não é possível diferençar. Só há o registro de bom-dia (sem hífen não poderia mesmo haver registro). Entretanto praticamente só vejo o cumprimento grafado sem hífen, inclusive por minhas colegas professoras de língua portuguesa.

    Curtir

    • Houaiss, Aurélio, Michaellis, Aulete… todos trazem praticamente a mesma definição: “bom-dia” — com hífen — É o cumprimento.

      Aproveitando o exemplo do Aulete: “Deu bom-dia a todos ao chegar”, qual o problema em se escrever “Quando chegou, ele disse: ‘Bom-dia, gente!'”, se ESSE bom-dia se encaixa perfeitamente na definição dos mais respeitados dicionários do país? O problema é que ninguém escreve “bom-dia” com hífen nesse contexto. Mas acredito que a definição seja mesmo essa: bom-dia É o cumprimento: “Bom-dia, gente!”.

      Por que penso assim? Porque, no Houaiss, confronta-se “bom-dia” com “bom dia” (“dia bom, agradável”, como em “Espero que você tenha um bom dia”). Ora, ele não exemplifica lá com “Bom dia, gente!”, por exemplo, que seria o modo mais lógico e rápido de definir a aplicação de “bom-dia” apenas como substantivo (o bom-dia). Por que ele não faz isso? Porque a definição já é bem clara: “bom-dia” É o cumprimento: “Bom-dia, gente!”.

      Mas o uso faz a regra; não o contrário.

      Mas eu sou meio que teimoso…

      Boa-noite, Leila!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s